O pescador e o turista

Um barco atracou em uma vila à beira-mar. Dele saiu um turista americano, que cumprimentou um pescador local pela qualidade do peixe que ele tinha lhe vendido e perguntou-lhe quanto tempo tinha levado para pescá-lo.

“Não demorou muito”, respondeu o pescador.

“Mas então, por que você não ficou mais tempo e pescou mais peixes?”, perguntou o americano. O pescador explicou que não precisava pescar muito para satisfazer as suas necessidades e de sua família.

O americano perguntou, “Mas o que você faz com o resto do seu tempo?”

“Eu durmo até tarde, pesco um pouco, brinco com meus filhos, tiro uma sesta com minha mulher. À noite, vou até a vila encontrar meus amigos, toco violão, canto algumas canções… tenho uma boa vida!”

O americano interrompeu: “Eu estudei administração de empresas em Harvard e posso lhe ajudar a aumentar o seu negócio! Você deveria começar a pescar por mais tempo todos os dias. Daí, você pode vender os peixes extras e guardar esse dinheiro a mais em uma poupança. Quando tiver o suficiente, você pode comprar um barco maior.”

“E depois disso?”, perguntou o pescador.

“Com um barco maior, você vai poder pescar ainda mais. Com o dinheiro extra que isso vai render, você poderá comprar um segundo e um terceiro barco, até que possua uma frota de barcos-pesqueiros.”

“Em vez de vender seu peixe a intermediários, você pode então negociar diretamente com as indústrias de pescados e talvez até mesmo abrir sua própria empresa. Poderá então sair desta vila e mudar-se para a cidade! De lá, você poderá administrar toda a sua imensa empresa.”

“Quanto tempo isso tudo iria levar?”, perguntou o pescador.

“Vinte, talvez vinte e cinco anos”, respondeu o americano.

“E depois disso?”, indaga o pescador.

“Depois disso? Bem, meu amigo, daí é quando as coisas começam a ficar realmente interessantes”, respondeu o americano. “Quando o seu negócio ficar mesmo grande, você pode começar a vender ações e fazer uma grande fortuna! Milhões!”

“Milhões? É mesmo? E depois disso?”, disse o pescador.

“Depois disso, você poderá aposentar-se, viver numa vila à beira-mar, dormir até tarde, brincar com suas crianças, pescar um pouco, tirar uma sesta com sua esposa, e passar suas noites divertindo-se com seus amigos.”

Anúncios

Sobre alexandregoya

" Impossível não é um fato, e sim, apenas a opinião de quem tentou e não conseguiu! "
Esta entrada foi publicada em Alexandre Goya. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s